Adobe Summit 2021: transformação digital, experiência de marca e estratégia de mercado

Para terminar com chave de ouro, neste terceiro texto sobre o que vimos no Adobe Summit (confira o primeiro e o segundo), focamos em alguns temas como transformação digital, estratégias de mercado, tecnologia e experiência do usuário! Reunimos as dicas e tendências vistas e vamos compartilhá-las agora. Vamos lá? 

Na primeira palestra “Como portais de comércio eletrônico B2B podem ser mais do que transacionais”, Michael Rasmussen (Practice Leader | Digital Commerce, EY) relaciona e-commerce B2B com mudanças. O pós-pandemia está começando a ter mais destaque para o B2B, ser mais real, e transformar as vendas por meio do conceito de autoatendimento digital.

Segundo pesquisa da Forrester, 70% das pessoas disseram que comprar de um site é mais conveniente do que comprar de um representante de vendas ao comprar produtos ou serviços para o trabalho.

O cenário de vendas mudou muito desde o início da pandemia, principalmente por conta da capacidade de se envolver pessoalmente é limitada.

  • 43% dos representantes de vendas não podem visitar o escritório;
  • 30% comunica-se principalmente por e-mail;
  • 20% comunica-se principalmente por vídeo.

 

Os desafios: 

1 – os clientes B2B estão mais difíceis de encontrar

2 – Todos os funcionários que passam pelo menos parte de seu tempo trabalhando remotamente têm maior engajamento do que aqueles que nunca trabalham remotamente.

 

Esse é o jogo direto ao consumidor: tenha o maior espaço de sua atenção que puder pelo tempo que puder, até que você reconheça minha marca e interaja com ela ou compre algo dela.

No B2B a estratégia deve ser diferente do D2C ou B2C. É preciso construir a experiência que permita ao cliente voltar ao telefone o mais rápido possível. No entanto, a marca e o produto, não é a experiência que deve-se construir. A plataforma é a experiência. Coisas como otimização, economia de tempo, conhecimento, essas são as experiências que possibilitam o autoatendimento, as experiências que capacitam os clientes a fazer mais e maximizar sua receita. 

O custo é muito importante na hora de escolher e considerar a construção de um portal de autoatendimento B2B. Com o e-commerce B2B, é possível tirar a responsabilidade do representante de atender aos pedidos e mudar seu foco para vender o valor da parceria, e o valor da empresa. Ou seja, isso significa que menos representantes podem gerar mais receita, ao mesmo tempo dando ao cliente o que eles realmente querem de qualquer maneira, uma experiência de autoatendimento digital.

Já na palestra de Ki Song (Director of E-Commerce Development, MonkeySports) e Kaushal Shah (Director of Magento Practice, Perficient), “Atualizando para Maior Eficiência e Vendas de Comércio Eletrônico”, é nos apresentado o case da  MonkeySports, varejista líder de equipamentos de hóquei no gelo, lacrosse, beisebol e softball nos Estados Unidos e Canadá. 

A empresa migrou para o Magento Commerce 2 para modernizar suas capacidades de comércio e apoiar seus negócios em crescimento. Sua estratégia de atualização de plataforma levou a um aumento substancial no volume de pedidos e funcionalidade avançada, o que reduziu o tempo de ativação dos produtos e o tempo de atualização do estoque. A MonkeySports e seu parceiro digital, Perficient, compartilham as etapas que tomaram para atingir um volume de pedidos consistentemente maior dentro de semanas de implementação da nova plataforma, e como sua estratégia gerou um jogo vencedor para o crescimento atual e futuro.

 

Principais conclusões:

– Magento Commerce cria eficiência e melhora processos de back-end;

– Como habilitar um tempo de entrada no mercado mais rápido e atualizações de estoque mais rápidas;

– Aumentando o valor médio do pedido e as vendas gerais, atualizando seu sistema.

 

Em 2010, a empresa utilizava  Magento 1 e a modelagem de dados prejudicava integrações com o ERP, que não estavam sendo satisfatórias, seja a nível de atributos como conjunto de atributos. O sistema de pontos também não agradava, e o time de merchandising estava limitado. Com a migração para Magento 2, o parceiro conseguiu entender as dores, desenvolver um plano assertivo de migração e não apenas atender as dores atuais, mas gerar novas oportunidades de negócio para a empresa.

E para finalizar com um super case em experiência de marca, em “Melhorando a experiência de marca com personalização de produtos”, David Guerra (IT Director, Scuf Gaming) e River Korn (Account Director, Guidance) falam sobre a empresa Scuf, que tem prêmios de inovação global, pois cria controles e headsets de games de alta performance, que são totalmente customizáveis. Alguns pontos de arquitetura do site anterior da empresa faziam com que eles não conseguissem utilizar todos os recursos que o Magento disponibiliza. Eles precisavam de uma ferramenta de configuração de produtos personalizados que, além de ser nativa da plataforma Magento, pudesse elevar a experiência do cliente.

Os clientes querem e gostam de ter produtos únicos, que sejam só deles. Que possam escolher os detalhes ou que sejam feitos sob encomenda. E no caso dos gamers, não apenas pelo design, mas pela vantagem competitiva que o produto oferece. Pensando nisso, a empresa decidiu levar essas customizações a outro nível.

 

A plataforma Magento foi a peça central de mais de 20 serviços de integração diferentes:

  • Datas e custos de envio artesanais – preços de frete determinados por pedido pelos requisitos da fábrica, backlogs de pedidos, níveis de estoque e requisitos de envio.
  • MES (Manufacturing Execution System) – Sistema de Execução de Fabricação
  • ERP (Enterprise Resource Planning)
  • CDP’s (mParticle/Klaviyo) – Segmentação de clientes para entendê-los melhor
  • Zendesk (Customer Support Management) – Gerenciamento de suporte ao cliente
  • Signifyd (Fraud Protection) – Proteção contra fraude

 

A customização de produtos permite que você inclua o cliente no processo de criação do produto, ao alterar o design para servir ao gosto e necessidade do cliente. Na hora da compra, o cliente pode escolher todos os componentes do controle através de um passo a passo de experiência de customização.

Essa área de personalização foi feita em ReactJS, escolhido pela sua aderência em todo o mundo, estabilidade e flexibilidade para funcionar não só em sites, mas também dentro de apps mobile e desktop. Magento e React trabalham juntos para proporcionar uma experiência inigualável para os clientes. Performance é sempre uma preocupação, e nesse caso, decidiram por utilizar a API do Magento para extrair o produto do catálogo e armazenar em cache o seu conteúdo em arquivos JSON para permitir que o React fosse carregado sem delay. Isso limita a necessidade do Magento de recorrer à API milhares de vezes por minuto para recuperar as informações do produto para o React poder consumir. Por conta da grande quantidade de produtos, opções, idiomas, moedas e quantidade de tráfego, ter um cache com esses dados todos foi um ponto crucial.

O tempo de permanência no site também é maior por conta da grande gama de itens personalizáveis. Assim que está pronto, uma imagem finalizada do controle escolhido é feita. A seleção é enviada para o Magento’s Guest Cart API e redirecionada para o carrinho, onde o cliente consegue ver uma representação visual do controle que ele mesmo fez e uma lista com todos os itens que ele escolheu para montar o seu controle único.

 

Curtiu os insights? 

Obrigado pela leitura até aqui. Será um prazer conversarmos melhor sobre as oportunidades que você identificou para o seu negócio!

47 3355 3160 – contato@hibrido.com.br – ou entre em contato pelo site hibrido.com.br/contato

 

Autores:

Rhuan Willrich, CEO

Leiriene Machado, Designer

Francine Maurici, E-commerce Strategy Lead

Posts Relacionados

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter

Follow our insights and news from ecommerce market.

Follow our insights and news from ecommerce market.

Enviado com sucesso!