CRO no e-commerce: por onde começar

CRO no e-commerce: por onde começar


CRO significa “Conversion Rate Optimization”, ou seja, a Otimização da Taxa de Conversão. Essa estratégia é baseada em analisar o site, descobrir o problema, criar hipóteses, fazer testes AB e analisar os resultados, sempre com o objetivo de converter mais usuários.





Fazer um bom CRO no e-commerce é imprescindível para tornar a experiência do usuário cada vez melhor dentro do seu site, gerar uma maior taxa de conversão e consequentemente um maior faturamento. 





Atualmente, a taxa média de conversão dos e-commerces variam entre 1% a 2%, ou seja, a cada 100 usuários apenas um ou dois vão converter, e isso é muito pouco. A pergunta é: como podemos melhorar isso? 





A resposta é simples: investindo em CRO.





Para começar, é importante saber que, em CRO é preciso ter paciência. Nada é achismo, tudo são testes e dados, porém esses testes podem demorar até encontrarmos a solução ideal que gere maior taxa de conversão. No entanto, quando encontrada ela pode representar um grande aumento nas conversões do seu e-commerce, e assim, em um crescimento das vendas.





6 passos para começar a fazer CRO na prática





1. Escolher a ferramenta de mapa de calor





Os primeiros passos para iniciar uma estratégia de CRO é levantar hipóteses, e para isso deve ser realizado pesquisas com os clientes ou leads, análise dos dados atuais e diagnósticos de mapas de calor. Para criar esses mapas de calor precisamos de uma ferramenta. 





No mercado existem diversas com essa funcionalidade, algumas das melhores são:









2. Escolher a ferramenta para rodar o teste





Para realizar os testes AB dentro do e-commerce será necessário uma ferramenta específica, principalmente para realizar as modificações e a mesma mostrar para 50% dos usuários a versão original e para os outros 50% dos usuários a versão variante. Existem excelentes opções no mercado, todas pagas, sendo elas:









Além delas, também existe uma ferramenta do próprio Google, na qual é integrado com o Google Analytics e conseguimos analisar os dados dos experimentos diretamente nela, chamada de Google Optimize. Essa ferramenta é gratuita, intuitiva e tão eficaz quanto as pagas.





3. Coletar os dados





Após escolher as ferramentas a serem usadas, damos início a coleta dos dados para criar hipóteses. Isto porque em CRO não fazemos alterações no achismo, sem antes realizar testes e realmente concretizar que a variante “X” converte mais que a variante “Y”, por exemplo.  





Algumas formas de coletar estes dados são: 





  • Criação dos mapas de calor
  • Análise do comportamento dos usuários no e-commerce através de ferramentas como o Google Analytics
  • Pesquisas realizadas nas páginas do próprio site com os usuários
  • Pesquisas com os clientes que já compraram




4. Analisar os dados e buscar oportunidades





Assim que tiver dados suficientes, é hora de interpretá-los. Olhe para os números e pense em oportunidades de melhorias em toda a experiência do usuário e jornada de compra. 





O que poderia ser melhorado na home? Na página do produto? No carrinho? Como poderíamos ajustar de forma que seja mais prático?





É muito importante fazer um planejamento de experimentos, pode ser em uma planilha, ou como achar melhor. Nela, liste várias hipóteses de testes AB que serão realizados na sequência. Nesta mesma planilha, coloque o nível de potencial daquele teste e o status dele para organização, na sequência os resultados de cada um com sua taxa de conversão.





5. Criar os testes AB na ferramenta escolhida





Feito a coleta de dados e o planejamento dos experimentos que serão realizados, é hora de criar os testes AB na ferramenta escolhida. Os testes AB podem ser fáceis ou difíceis de criar: isso vai depender da complexidade da alteração que será testada e da ferramenta que você escolher. 





Os testes mostrarão qual das opções converte mais, se é a versão original ou a versão variante e durante o andamento do teste também conseguimos ver uma probabilidade de qual versão é a indicada. 





Assim, lembre-se sempre da importância de deixar os testes rodando até ter dados suficientes para análise. Um dos maiores erros no CRO é a impaciência em finalizar os experimentos antes do tempo e ter resultados imparciais.





6. Analisar os resultados e implementar as melhorias





Por último, mas não menos importante, é a análise dos resultados e implementação. O seu teste deu certo? A versão que teve uma maior taxa de conversão foi a sua variante? Encerre o teste, atualize sua planilha com a versão ganhadora e implemente a alteração oficialmente no seu e-commerce. 





Todo esse processo de CRO é um trabalho contínuo, há diversos experimentos que podem ser realizados com o intuito de aumentar a conversão do site, e provavelmente a melhor opção que você encontrou hoje não será a melhor para sempre. 





Pesquise, estude, colete dados contínuos, analise e coloque a prática de CRO na rotina do seu e-commerce. Conheça nosso trabalho de estratégia, e siga nosso Instagram e LinkedIn.





Até mais!




Achou isso interessante? Compartilhe

Francini Maurici
Por Francini Maurici

Estudante de Publicidade e Propaganda atuando há 1 ano na área de SEO. Apaixonada pelo mundo digital, busca cada vez mais oportunidade de aprendizado e experiência na área. É uma das responsáveis pela estratégia e SEO dos clientes da Híbrido.

COMENTÁRIOS

CERTIFICAÇÕES

E PRÊMIOS

CONECTE-SE

Vamos conversar SOBRE O SEU NEGÓCIO?

Quer ficar antenado no mundo do ecommerce?

Faça parte da nossa base de conhecimento.